Carta para o meu saudoso pai

 

Saudoso pai

 

Hoje ao entrar rapidamente no meu quarto, não sei o que me impeliu a olhar para a parede.

Olhei e como sempre vi a sua foto junto com a mãe.Naquele momento pai, senti lágrimas molhando os meus olhos.

Como estou sentindo agora. Sabe aquela vontade de chorar? Pois é...é assim que me sinto neste momento.

Sinto uma tristeza no meu coração , tão grande, meu velho que  se foi  novo, aos 49 anos. Papai  , hoje eu sou mais velha que  você quando partiu desse mundo e deixou-nos órfãos de  ti. Agora sim , as lágrimas rolam sem dó.....Parei um pouquinho para  passar a mão direita nos olhos e  tentar  enxugar  os meus  olhos inundados. Está até me atrapalhando escrever.Tive que levar a mão ao nariz e  enxugá-lo também.

Meu saudoso pai...por isso que te olhei tanto na foto....estava com saudades e ainda não tinha me tocado que era simplesmente a saudade de ti.

Sei que nunca o senhor poderá ler essa carta , mas se Deus quiser ele pode transmitir a você o meu lamento e como estou triste, solitária, saudosa, ah....se você estivesse aqui ainda.

Lembro  pai que um dia nós estávamos sentados no velho sofá da casa onde fomos criados. Não sei o motivo, mas  num gesto paternal o senhor deitou sua cabeça no meu colo. Foi um gesto paternal e sem maldade, o senhor não viu, foi muito rápido....mas eu senti que fiquei corada naquele instante. Foi a primeira e última vez que você fez esse gesto de carinho.

Tão logo  você voltou a ficar sentado no sofá eu  estava tão sem graça que me retirei do local. Penso que  o senhor não percebeu.

Eu tenho lindas recordações suas. Você capinando o mato que crescia rapidamente  no nosso quintal, você fazendo plantações, colhendo  frutas nas inúmeras árvores frutíferas   ali espalhadas, você vendendo caldo de cana....eu te ajudei pouco...eu sei...mas foi de coração. São tantas recordações que  nem consigo escrever todas.

Antes de me casar você adoeceu. Teve aquele maldito derrame, que o deixou com o braço paralisado e quase sem voz.  Era tão difícil interpretar o que você tentava falar. Tenho certeza que  você queria falar alguma coisa comigo sobre o  meu casamento mas não conseguiu.

Lembro o dia que tentou se comunicar comigo através de gestos e eu não entendi nada. Me perdoe ....me perdoe por não ter te amado mais, por não ter demonstrado mais o meu amor por você. Eu perdôo  as duas ou três surras que a mãe fez o senhor me dar com aquela  correia de couro...doeu pai ...doeu minha carne, meu espírito mas  eu sei que o senhor chorava junto comigo...mas eu o perdoei ...e como perdoei...e a mãe também. Olha papai quando me casei o senhor esteve presente, a sua presença foi o meu maior presente. Aqueles presentes que encheram minha cama de casal não valiam nada para mim...mas  você e a mãe foram o  meu tesouro aqui na terra.

O tempo passou tão veloz, casei em março, e em dezembro do mesmo ano , você teve que ser levado às pressas para o hospital da cidade vizinha. Eu estava grávida de seis meses da minha primeira filha. A primeira vez que fui visitá-lo no hospital eu nem pude vê-lo direito. Eu sequer podia me aproximar que a comoção tomava conta de mim. Queria te abraçar e dizer o quanto te amava.Mas minha prima Lane, minha irmã mais velha não deixavam que eu me achegasse mais perto de ti....elas me tiravam do quarto com palavras consoladoras. Ah papai como senti tudo aquilo. Devia não ter saído da sala e te abraçado e te beijado na sua face envelhecida de sofrimento e da enfermidade que o consumia.

Aquele maldito câncer de intestino te levou.

Quando veio a notícia que  você partira eu quase  não conseguia respirar. Queria correr, queria fugir, queria morrer também.

Esperamos  você chegar naquele carro da funerária....e de longe, eu via  retirando o caixão que você estava deitado. Ai que dor que senti....

Nem ali naquela sala onde toda a nossa família foi tão feliz, mesmo na pobreza, eu mal podia chegar perto  de você. E quando chegou a hora de você ir, eu quase não agüentei. Minha mãe também não. Ela teve que se deitar senão ela caía. Eu me afastei, quer dizer, me afastaram por causa do bebê na minha barriga, e vi  a marcha fúnebre que te levava para o cemitèrio.  Quando entrou janeiro eu já estava indo para o sétimo mês de gravidez. Ganhei a sua netinha no dia 28 de março de 1980. Pena que o senhor não a conheceu. E hoje pai ao me deparar com a sua foto na parede do meu quarto eu não me contive. Senti uma necessidade enorme de lhe contar tudo isso mesmo sabendo que você  não saberá nunca do que eu sinto agora.

Meu querido, meu velho ,meu amigo...é o que você Foi e é pra mim.

Findo esta  carta ainda com meus olhos  cheios de lágrimas.

Abel....este era o seu nome, este é o nome que jamais esquecerei.

Hoje ainda aproveito para te agradecer por ter me dado a vida junto com a minha linda mama.

Pai.. .muito obrigada por todo  seu esforço pra nos criar.

Obrigada pelo tanto que trabalhou para não nos faltar o pão de cada dia.

Obrigada meu pai por você ter  passado um tempo aqui conosco, com a sua família que muito te amou.

Obrigada meu amado pai...fique descansando nos braços do PAI.

 

Adeus ou até  breve

 

Sua  agradecida filha

 

Margareth Rafael.

Ofereço essas flores para a memória eterna do meu pai Abel Rafael. Saudades eternas.

Exibições: 508

Comentar

Você precisa ser um membro de revista virtual metamorphosis para adicionar comentários!

Entrar em revista virtual metamorphosis

Últimas atividades

benedito c g lima postou um status
"Poetas de Corumbá ms se preparam para Lançamento de Certame de Poesia a nivel Nacional"
2 horas atrás
benedito c g lima postou fotos
2 horas atrás
benedito c g lima postou um status
"Aguardando a chegada do Sábado para o POETAS NA PRAÇA."
2 horas atrás
benedito c g lima postou um status
"Aguardando o Sábado para POETAS NA PRAÇA"
2 horas atrás
benedito c g lima atualizaram suas fotos do perfil
2 horas atrás
benedito c g lima é agora um membro de revista virtual metamorphosis
3 horas atrás
MABAESTRELA LIS é agora um membro de revista virtual metamorphosis
ontem
MARIA DO SOCORRO WALRAVEN DE SOU é agora um membro de revista virtual metamorphosis
sábado

Escritor
Luly Diniz agora é amigo de Anna Karenina, Isabel Cristina Silva Vargas e Adul Rodri
11 Fev

Escritor
Luly Diniz postou fotos
11 Fev
Margareth das Dores Rafael Morei é agora um membro de revista virtual metamorphosis
5 Fev

Administrador
Posts no blog por Anna Karenina

minha ausência

Amigos estou ausente pq estou sul da bahia numa praia qse deserta em Ilhéu praia de Mamoan e não há nem internet nem sinal de celularmas breve voltareiVer mais...
1 Fev

Escritor
Zélia Mendonça Chamusca comentou a postagem no blog INTERROGAÇÃO de Paolo Lim
"Poeta assim nunca eu tinha conhecido e a Paolo Lim não há nenhum parecido, porque ele é único, singular na sua forma de saber poetar. Parabéns!"
1 Fev

Escritor
Posts no blog por Paolo Lim

INTERROGAÇÃO

Não teria nexo, tampouco sentido,se no anexo do texto lido,um perplexo…Ver mais...
1 Fev

Escritor
Posts no blog por Paolo Lim

ASSIM SERÁ...

Palavras, como cascas de barata, luzem na contraluz e se desfazem na memória do…Ver mais...
29 Jan

Escritor
Adul Rodri deixou um comentário para Anna Karenina
26 Jan

Escritor
Adul Rodri deixou um comentário para Isabel Cristina Silva Vargas
26 Jan

Escritor
Adul Rodri postou vídeos
26 Jan

Escritor
Posts no blog por Adul Rodri
26 Jan

Escritor
Adul Rodri atualizaram seus perfis
26 Jan

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Anna Karenina.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

U