Inspiração das figuras e Imagens,faça um poema baseado numa imagem

Comentar

Você precisa ser um membro de revista virtual metamorphosis para adicionar comentários!

Entrar em revista virtual metamorphosis


Escritor
Comentário de beneditocglima em 7 outubro 2016 às 21:17

Sou um argonauta

perdido na solidão

Nem a Lua cor de prata

me devolve a emoção.


Administrador
Comentário de Anna Karenina em 13 março 2016 às 17:34
Esse grupo e antigo e teve poucas respostas
mas a imagem sempre fica de referencia para as poesias
mas vc pode incjuir imagem sua para fazer seu trabalho

Escritor
Comentário de ISABEL CRISTINA SILVA VARGAS em 13 março 2016 às 1:16

GOSTARIA DE SABER SE ESTA IMAGEM ESTÁ ATUALIZADA POIS VEJO QUE AS POSTAGENS SÃO ANTIGAS . 


Escritor
Comentário de VALDECI SILVA em 21 novembro 2014 às 19:43

Nessa solidão
navegando na imensidão
nesse mar querendo amar
com meu barco azul

Meu barco a vela
saudade dela
cabelos
seu sorriso

nessa dimensão
sem direção
meu barco azul

me leve de volta
antes da aurora
meu barco azul
quero ir para o sul


Escritor
Comentário de Mileidi Consalter em 10 agosto 2014 às 17:25

Com muito animo e pouca dor

Ouso pegar meu barco

Na busca incessante do  amor

Porém o medo me amarra num arco

Nos meus desejos um misto de ardor

Transpiro demasiado me encharco

Embriago-me no meu tremor

Oscilo um misto de coragem e amargor

De ilusão misto de sabor

Da vida por vezes me exausto

Procuro seu devido valor

Ainda de longe o barco aprecio

Quando vem a coragem me arrepio

contrapartida preciso me dar valor!

Mileidi Consalter


Administrador
Comentário de Maria Iraci Leal (Adm) em 10 agosto 2014 às 16:50

BARCO DA VIDA...

Neste barco da vida,

singro águas atravesso mares,

terras desconhecidas,

carrego solidão infinda,

tantas as saudades...

Entre idas  e despedidas,

em cada porto uma amizade,

uma lembrança que fica...

Dos mares desta vida,

tudo que me resta

são saudades!

Maria Iraci Leal/MIL

POA/RS/Brasil

09/08/2014

Obra protegida


Escritor
Comentário de Antonio Paiva Rodrigues em 22 julho 2014 às 22:32

MEU BARCO DE AMOR ENCANTADO

 

Meu barco navega ora tranquilo, ora no descompasso das ondas. Uma fina chuva anuncia que uma tempestade ameaça chegar.  Os ocupantes preocupados começam a rezar pedindo ao Senhor tranquilidade e, que possam chegar à praia são e salvos. A vela tremula desmedidamente fazendo o barco balançar, como se estivesse em compasso de dança. O sibilo das ondas aumenta à medida que as ondas tomam formas gigantescas.

Os corações preocupados e amedrontados batem fortemente numa pulsação forte e com sons diferenciados. Ao longe vislumbramos a praia e o nervosismo diminui na medida em que o vento forte joga o barco de encontro à praia. Enfim, chegando e um respiro fundo fez a calma reinar no altaneiro lugar. Estávamos na praia das Fontes num belo dia acalorado e com o sol mais ameno, visto que o tempo estava nublado. Passado o sofrimento tive uma ideia: pela inspiração daquele belo dia edifiquei um castelo de sonhos.

Sonhos reais de príncipes e reis. Imaginei com ternura e doçura, na altura do monumento real, mas sós fantasias. Descomunal, naquelas redondezas não havia, só pedras, casebres e maresia. A beleza da praia constatava com a singeleza do lugar. Como por encanto em poucos momentos eu disse: Majestade está pronto venha olhar. É lindo! Suas paredes pareciam enormes colunas de alvenaria, mas, no entanto, para espanto era só areia.

Areia da praia onde eu estava a sonhar acordado, coitado não percebia que as ondas ferrenhas que conseguimos vencer poderiam tudo desmanchar. Circundei o castelo e joguei um pozinho amarelo, para torná-lo mais belo e encantador de sereias, que em noites de lua cheia com seu canto bonito, meio esquisito poderia surgir a qualquer hora em qualquer lugar.

A nossa linda embarcação bem segura contemplava aquela construção real, mas de uma fragilidade que todos poderiam imaginar. Já noite olhei as estrelas brilhantes parecendo diamantes a brilhar, e a piscar. Cantarolei chamando à atenção de todos os amigos as lindas cantigas de príncipes e reis. Esperei com os olhos esbugalhados a luzinha que piscava em alto mar e cada vez mais a se aproximar. Um vento forte começava a soprar e rajadas de areia a jogar, as ondas agigantaram-se e o meu castelo coitado ficou de papos pró-ar.

Além da queda coice. Depois de uma navegação perigosa meu sonho que era só alegria, de repente virou tristeza e fantasia, mais que de repente tudo desmoronou. Transformei-me num precoce infeliz, pois a obra dos meus sonhos era singela salpicada de amarelo, mas esqueci de que areia com vento não podem combinar. Foi uma sina, porém pequenina que tocou meu coração, passei as mãos na cabeça, ouvi uma voz dizendo: Não enlouqueça! Você é um amor.

A vida é assim cheia de surpresas. Pensamos que somos fortes e que nada nos destruirá vem o destino e a morte que por ironia ou falta de sorte nos dizimar. Porém naquele dia tive a felicidade voltou a reinar e a sereia amiga disse; pegue o seu barco volte ao mar e com seu amor passe o dia a se esbaldar, trocando carícias e se entregando ao amor carnal num êxtase fenomenal. Agradeço ao mar que serenou e ao meu querido barco que tão carinhosamente nos acolheu.

 

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-FORTALEZA-CEARÁ

 



Escritor
Comentário de ALICIO APARECIDO SOFFA BONILHA em 16 junho 2014 às 7:01

Linda Mulher!!!
As mais lindas palavras de amor, são ditas no silêncio de um olhar." "As paixões cegam. O verdadeiro amor nos torna pessoas lúcidas." "Como são sábios aqueles que se entregam às loucuras do amor ". Diga-me quem te admira e te ama, 
e eu te direi quem é você." "Dói amar alguém e não ser amado em retorno, mas o que é mais doloroso é amar alguém e nunca encontrar a coragem para deixar esta pessoa saber como você se sente." 
"Duas almas com um mesmo pensamento. Dois corações que batem como um só." "É apenas com o coração que se pode ver direito; o essencial é invisível aos olhos." "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã" "É mais fácil ser amante do que mulher, pois é mais fácil dizer coisas bonitas de vez em quando do que ser espirituosa dias e anos a fio." 
"Em certa idade, quer pela astúcia quer por amor próprio, as coisas que mais desejamos são as que fingimos não desejar."
Beijos do meu para o teu coração!!!
Com Carinho!!! Alício!!


Escritor
Comentário de celina albertini em 14 março 2014 às 17:10

Motivo


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.


Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.


Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.


Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

Cecília Meireles


Escritor
Comentário de pedro silveira de souza em 28 fevereiro 2014 às 7:30

Há mão do criador me espira, para escrever o amor;
Um bom dia, a todos que vive na ilha mofando.
Hoje foi o dia que achei a posição de homem...
Pois nada mais somos, que simplesmente uma ilha!
Vivemos com nossas riquezas, cercados de outros a passar fome
Vivemos cercados por terra, água, céu, e nossa própria miséria do ser.
Somos uma ilha em nossos pensamentos, que insiste que todos os bens sejam seus.
Vivemos a dizer, que a nossa raça, nossa religião, o nosso Pais é o melhor, esquecendo-se dos outros
Vivo numa ilha eu cercado do Deus que a religião do homem implantou.
Sai da ilha, e veja nas misérias, a maneira de amar.
Pedro Silveira poeta marginal.

Q crepúsculo

Nasce à noite,
No planeta, o sol adormece
Com seus derradeiros tons.

Mais no explodir da aurora
Floresce a luta da luz
E o amor renasce 


Menino de rua
Um coração de pedra, não sente.
Sendo um coração de ferro, não chora.
Nem arde nas brasas de uma paixão,
Só um verdadeiro coração humano,
Sente, grita e soluça, com a dor da criança 

Poema da espiga negra
Milho verde por dentro amarelo,
Espigas que despertam a fome.
Foram queimadas, tonas te espigas negras 
o despertar da fome, que em bocas enxutas,
Seca... A terra em cinzas denuncia horrores.
na chuva adiada clama maldições, no carrega 
A noite pesar só o cansaço aumentar e não diluir.

Ilha
O homem é uma ilha... Não.
só são ilhadamente parecidos 
E é por todos os lados 
cercado de fome, de sede de raiva, orgulho.
O homem é apenas uma interrogação entre, terra, céu, mar e infinito.


Somos 

Somos o estopim de nossas entranhas 
com um sabor acidulado de fel.
Que estremecendo nossos nervos, 
tempera nosso sangue com o sexo.
Morrer na madrugada 

se morrer na madrugada 
não me acordem 

Deixem-me dormir o sono calmo 
de quem sonhando
Levo a vida

Se eu morrer dormindo, não mim acorde meus amigos, ou inimigos. 
Não busquem causas misteriosas
Nem inventem histórias santas nem kimbandas. 

Sepultem-me, no meu sertão
Junto ao meu umbu sagrado
Para eu afixa as minhas raízes 
E que o doido vento seco quebre.
o sem batuque nem cantoria, sem tom
Sem pranto ou espanto, sem pitu,
Sem dor nem lamento quebrando 
Deixem-me dormir o meu sono 
Se eu morrer dormindo não mim acordem peço, que toquem maracatu xaxádo e baião que é o que levo dentro do coração.
Deixem que o meu sono contamine com a magia o céu o mar o ar de meu sertão. 
O preço 
O premio de uma guerra
“uma bala”, mas não uma bala normal
Por ser policial trago na mente historia obscura que não queres ouvir.
De minhas vitórias pago o preço.
Uma bala só para mim, com medalha no peito aberto. Premio da guerra sem fim.

Madrigal para Maria
Edna tu sabes, do meu amor
Te amo muito, Edna, demais

Se o não soubesses, nem sei
Edna, nem sei o que faria
Também não sei se algum dia te diria 
Mas sei que sabes Edna.
Te amo, te amo, te amo Edna.
Morro de amo por ti

pedro silveira de souza poeta marginal


Escritor
Comentário de Beto Acioli em 25 janeiro 2014 às 7:12

Entrego-me livre aos braços dos ventos
Singro pela vida flanando ao relento
Balouço nas ondas pelo mundo afora
Preso à liberdade que em mim se ancora.

Leve, velejando pelos mares adentro
Vivo o contento, o crepúsculo e a aurora
Arfante, o meu peito, de amor sedento
Faz-me ser maior que o mar que me devora.


Escritor
Comentário de POETADOSISLAS-Armando Arzalluz C em 25 janeiro 2014 às 2:16


Escritor
Comentário de Mileidi Consalter em 24 dezembro 2013 às 2:54

Me despeço,nem olho para tráz

por medo de doer e recuar

sigo avante,neste barco navegante

Já não sinto mais medo,mesmo o vento forte

tentando me derrubar,sai embrenhada neste mar

a procura de mim esquecida bem lá naquele horizonte!

Mileidi Consalter


Escritor
Comentário de Rivadávia Leite em 25 outubro 2013 às 7:40

HOMENAGEM PÓSTUMA

 

 

Merencória visão de um pretérito arfante,

Sórdida lembrança de um dia amargurado;

Partem duas almas para um reino distante,

Repicam os sinos em anúncio a este fado.

                               

Momentos de fráguas sua mãezinha chora,

Querendo em desútil suas vidas ressuscitar;

Destino atroz! É a conspiração que deflora,

O amor de uma mãe que tanto anelava dar.

 

O pranto fremente de suas ausências agora,

Faz sentir tão dorido o seu frangível coração,

Saga dos dois filhinhos que por eles ela ora,

No supremo desejo de vê-los em sua oração.

 

Retratos na parede são saudades de outrora;

Meus anijinhos amados, até outra dimensão!

 

Rivadávia Leite


Escritor
Comentário de VALDECI SILVA em 27 setembro 2013 às 21:28

me um email quando as pessoas comentarem                                                 Carregando...                                                                                                                                                                              


         

 saudade

 louca  sensação

será amor?

 meu barco azul

 tudo azul

 saudade

 vontade de ver um amor

que lindo barco a vela

mas lindo seria a minha bela

navegar nessa imensidão

mar e amar

 quero navegar

em seu corpo e abraçar

beijar  e sonhar..


Escritor
Comentário de beneditocglima em 29 maio 2013 às 15:27

Meu coração vai sozinho

por mares nunca visitado

e assim que encontrar o meu amor

terá descoberto a razão de viver

apaixonado.


Escritor
Comentário de claudia vargas em 21 abril 2013 às 22:27

PERFEITO A MIGA MILEIDI, COMO SEMPRE, VOCÊ ENCANTADORA EM SUAS PALAVRAS. BJS


Escritor
Comentário de Mileidi Consalter em 21 abril 2013 às 19:26

''Não direi adeus,nem até breve

me atrevo em sair sem me despedir

Nas ondas embravecidas desse mar

em busca do meu amor,até encontrar''

Mileidi Consalter 21-04-2013


Escritor
Comentário de claudia vargas em 12 março 2013 às 22:28

SONHANDO ACORDADA

 

VELEJANDO POR AÍ, PENSANDO ONDE CHEGAR...

QUEM SERÁ QUE VOU ENCONTRAR NO CAIS A MINHA ESPERA?

NESSAS ÁGUAS PROFUNDAS, ONDE O SILÊNCIO GUARDA TAMANHA

MAGIA EM SUAS PROFUNDEZAS,

MEU BARCO NAVEGA AO ENCONTRO DO NADA,

A  PROCURA DE RESPOSTAS JAMAIS SOLUCIONADAS E

ALEGRIAS ESCONDIDAS.

 

VELEJANDO POR AÍ, VOU SONHANDO TER VOCÊ AO ME LADO,

IMAGINANDO CHEGAR AO NIRVANA,

E APAGAR DA MEMÓRIA TRISTEZAS QUE DEIXEI PARA TRÁS.

 

Claudia Vargas


Escritor
Comentário de Mileidi Consalter em 19 fevereiro 2013 às 1:57

     PESADELOS

NESTE BARCO QUERO ENTRAR

LEVAR COMIGO MEUS SONHOS

NESSE IMENSO AZUL DO MAR

E OS MEUS PESADELOS

NAS AGUAS CRISTALINAS VOU LANÇAR

NO ENVOLTO AZUL DO CÉU

COM MEU BARCO IR SUMINDO..

PARA TERRAS AONDE EI DE ME ENCONTRAR!!

          mileidi consalter

© 2017   Criado por Anna Karenina.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

U